Dia após dia, mais e mais consumidores estão gerando a própria energia renovável a partir do sol. Em abril de 2017 já haviam mais de 9.000 sistemas fotovoltaicos em operação no Brasil. Mas investir em energia solar é mesmo um bom negócio?

O grande motivador da intensa difusão da geração fotovoltaica distribuída no Brasil não é simplesmente o aspecto sustentável, mas principalmente o fato de que a tecnologia mostra-se como uma excelente opção de investimento financeiro a longo prazo devido às condições naturais (alta irradiação solar) e mercadológicas (alto custo da energia) nacionais.

Preparamos este artigo para demonstrar ao consumidor que o investimento em Energia Solar Fotovoltaica é muito mais rentável do que aplicações de Renda Fixa disponíveis no mercado financeiro.

investir em energia solar fotovoltaica

Investimentos em Renda Fixa

Ao analisar as aplicações de Renda Fixa disponíveis, encontramos opções tais como a Caderneta de Poupança, os CDBs, as LCIs, as LCAs, os fundos de Renda Fixa (FIRFs) e os Títulos do Tesouro Nacional.

Dentre as opções de Renda Fixa, os Títulos do Tesouro Nacional (NTNBs, LTNs, NTNFs e LTFs) são os ativos que poderiam ser mais competitivos com a energia solar fotovoltaica, por apresentarem vencimentos longos e, consequentemente, rendimentos superiores aos das demais opções de Renda Fixa.

As opções disponíveis atualmente no Tesouro Nacional de maior remuneração são a NTNB de vencimento em 2045, a LFT de vencimento em 2023, a LTN de vencimento em 2023 e a NTNF de vencimento em 2027:

  • A NTNB remunera o investidor com o índice de inflação IPCA + 5,27% a.a.
  • A LFT remunera o investidor com o índice de juros SELIC + 0,06% a.a.
  • A LTN remunera o investidor 10,17% a.a.
  • A NTNF remunera o investidor com 9,66% a.a.

Exemplo comparativo: Renda Fixa vs. Sistema Fotovoltaico

Para o exemplo que iremos simular, vamos tomar como base os valores dos índices de 2016, onde o IPCA foi de 6,28% a.a., o SELIC foi de 13,65% a.a. e o rendimento da Caderneta de Poupança foi de 8,3% a.a.

Vamos considerar o mesmo sistema fotovoltaico e tarifa utilizados no artigo “Energia Solar: instalar agora ou esperar o preço cair?”, portanto um sistema que custa cerca de R$ 25.000,00 e gera cerca de 500 kWh/mês, sendo o valor da tarifa cobrada pela concessionária R$ 0,83/kWh.

Caso o consumidor investisse os R$ 25.000,00 em Renda Fixa, ele poderia obter os seguintes rendimentos em 2016:

  • Caderneta de Poupança (8,3%): R$ 2.075,00
  • NTNB (6,28% + 5,27% = 11,55%): R$ 2.887,50
  • LTN (10,17%): R$ 2.542,50
  • NTNF (9,66%): R$ 2.415,00

Por outro lado, caso o consumidor investisse no sistema solar fotovoltaico, o seu rendimento proporcionado pela economia energética anual seria equivalente a R$ 4.980,00 (500 kWh/mês X 0,83 R$/kWh X 12 mês/ano) e ao longo de 25 anos seria superior a 20% a.a. (já considerando uma perda de performance anual), portanto quase duas vezes mais rentável que as melhores opções de Renda Fixa.

Solicite um projeto detalhado de energia solar para sua empresa ou residência e comece a economizar agora.

Por que investir em energia solar?

Além da rentabilidade do investimento no sistema fotovoltaico ser absolutamente superior, vale ressaltar que ela é válida por toda a vida útil do sistema, garantida por 25 anos. Já as opções de Renda Fixa, por outro lado, apresentam vencimentos mais curtos e tendem a ser re-emitidas cada vez com taxas de remuneração menores à medida que a economia do Brasil se estabilize e os juros baixem. Por exemplo, nos EUA, os juros em 2016 foram inferiores a 1% a.a., frente aos 14% a.a. do Brasil.

Desta forma, havendo disponibilidade financeira para investimento a longo prazo, instalar um sistema fotovoltaico é uma opção de investimento, além de moderna e sustentável, muito mais rentável e duradoura que qualquer opção de Renda Fixa do mercado.

Ficou interessado ou tem alguma outra dúvida?

Elisa Meira Bastos