Muitas pessoas ainda confundem o uso de aquecedores solares com a energia solar fotovoltaica. Ambos utilizam a energia solar para atingir seus objetivos, mas o fazem de maneiras muito diferentes. Nesse post vamos explicar como esses sistemas funcionam e quais as principais diferenças entre eles.

img-blog

Aquecedores Solares

Os sistemas de aquecimento solar aproveitam o calor proveniente da radiação do sol para aquecer a água utilizando coletores solares e um reservatório térmico. A água sai do reservatório e passa dentro de coletores solares, que normalmente são compostos por placas de vidro e uma tubulação interna feita de cobre ou alumínio. Os coletores solares aquecem a água dentro da tubulação, que retorna para o primeiro reservatório ou passa para um segundo reservatório térmico que armazena apenas a água quente. O sistema se conecta à rede hidráulica do imóvel provendo água quente para chuveiros e torneiras.

As diferenças de densidade entre água fria e quente permitem que o sistema mantenha um fluxo constante, sem a necessidade de usar bombas para abastecer o reservatório. No entanto, sistemas maiores com muitos coletores, para o aquecimento de piscinas por exemplo, podem precisar de bombas que usam eletricidade. Além disso, alguns sistemas podem ainda possuir um sistema auxiliar de aquecimento, movido a gás ou eletricidade, acionado em épocas em que apenas a radiação solar não é suficiente para aquecer a água ao ponto desejado.

Painéis Fotovoltaicos

Diferentemente dos aquecedores, estes sistemas utilizam células fotovoltaicas que aproveitam a luz do sol para gerar corrente elétrica. Para os sistemas fotovoltaicos, dias frios não são um problema. Muito pelo contrário, baixas temperaturas aumentam a eficiência do processo e portanto favorecem a geração de energia elétrica.

Normalmente feitas de diferentes camadas de silício, as células são agrupadas e conectadas em painéis fotovoltaicos. Enquanto houver luz solar atingindo as células fotovoltaicas a energia será gerada e estará imediatamente disponível para utilização. Já falamos sobre o funcionamento das células fotovoltaicas em um outro post, para saber mais clique aqui.

Os sistemas de geração de energia solar distribuída são compostos por painéis fotovoltaicos, inversores, cabos elétricos e outros componentes de segurança que são conectados diretamente na rede elétrica já existente em um imóvel. Assim, dependendo sempre do tamanho, o tempo de instalação de um  sistema fotovoltaico também é reduzido, por envolver poucas intervenções na estrutura. Uma instalação residencial, por exemplo, pode durar apenas 3 dias, sem interferir nas tarefas do dia-a-dia.

Além disso, de acordo com as resoluções 482 e 687 da ANEEL, se a geração de energia for maior que o consumo, é possível enviar a energia extra para a rede elétrica da concessionária, gerando créditos que podem ser utilizados a noite ou exportados para outras unidades consumidoras do mesmo titular.

Para que a instalação do sistema solar fotovoltaico seja possível, a concessionária de energia precisa trocar o medidor convencional por um medidor bi-direcional, capaz de contabilizar tanto o consumo a partir da rede elétrica quanto a injeção da energia produzida. É importante lembrar que a responsabilidade e os custos envolvidos na troca do medidor são da concessionária!

Comparação

A diferença entre os sistemas de aquecimento e sistemas fotovoltaicos é que o aquecimento solar se limita a aquecer a água, enquanto os sistemas fotovoltaicos produzem energia elétrica, que por sua vez pode realizar diversos trabalhos – inclusive esquentar a água! Com o sistema de aquecimento é possível reduzir o consumo de energia ao deixar de utilizar chuveiros elétricos. Já o sistema solar fotovoltaico implica na redução da conta de energia considerando o uso de todos os equipamentos elétricos.

Dito isso, é importante ressaltar que os sistemas de aquecimento têm um papel muito importante na eficiência energética das casas e edifícios. Afinal, em uma única etapa de transformação, convertem o calor proveniente do sol em água quente. Para atingir o mesmo objetivo os painéis fotovoltaicos precisam converter a energia solar em corrente elétrica para posteriormente transformá-la em água quente. Ou seja… Para se obter água quente, a alternativa mais eficiente é o aquecedor solar. Por isso o mais interessante é realizar uma análise detalhada das necessidades energéticas dos edifícios para determinar a melhor forma de aproveitar a energia solar, tanto através de aquecedores como através de painéis fotovoltaicos.

Para ambos os sistemas, o melhor lugar para a instalação  é um local que tenha amplo acesso à luz do sol, sem obstáculos que possam gerar sombra. Mas, diferentemente dos sistemas de aquecimento solar, os sistemas fotovoltaicos podem ser instalados em áreas no solo, e não apenas em telhados, sem prejuízo para a geração de energia.

É importante lembrar que os dois sistemas não são excludentes, mas podem atuar de maneira complementar. Mas ao planejar a utilização da energia solar em um imóvel juntamente do aquecimento de água é interessante reservar a área com menos possibilidade de sombreamento para as placas fotovoltaicas. Devido à natureza dos processos, as sombras são muito mais prejudiciais à geração de energia elétrica do que à geração de calor.  

Agora que você já sabe a diferença entre os dois tipos de sistemas, entre em contato conosco para saber como você pode economizar ao gerar sua própria energia!

mm
Lucas Mendes

Formado em administração de empresas, por dois anos se dedicou a um MBA pela IESE Business School da universidade de Navara (Espanha). Atuou na Schneider Electric, empresa global especialista em gestão de energia e em bancos de investimento e fundos de capital de risco com foco nos setores de energia e infra-estrutura.