Será possível zerar a conta de energia usando energia solar? Essa é uma das principais perguntas que escutamos de nossos clientes! Nesse post iremos explicar por que não é possível zerar a conta de energia utilizando um sistema solar fotovoltaico. Além disso, se você já solicitou alguma proposta comercial, vamos te ajudar a verificar se ela considera esse fator. Quer saber mais? Continue lendo.

conta de energia

 

Para fazer um projeto de sistema de energia solar fotovoltaica temos que avaliar uma série de fatores como:

  • Localização exata da unidade consumidora
  • Média de consumo em kWh/mês
  • Classe de Consumo
  • Tarifa de Energia
  • Padrão de conexão com a rede
  • Superfície de instalação
  • Insolação
  • Sombreamento e muitos outros aspectos!

Mas para desmistificar a pergunta do início do post, precisamos falar sobre o Custo de Disponibilidade, um fator que afeta principalmente os consumidores residenciais.  

O que é o Custo de Disponibilidade?

O custo de disponibilidade, ou taxa mínima, é um valor cobrado pelas concessionárias por disponibilizar a energia elétrica no ponto de consumo. Afinal, providenciar toda a infraestrutura elétrica e garantir o fornecimento energético certamente tem um custo! Assim, mesmo que não exista qualquer consumo de energia, a disponibilidade de energia precisa ser ressarcida.

O Custo de Disponibilidade é regulado pela resolução ANEEL n°414, que estabelece os seguintes valores mínimos de entrega de energia, conforme padrão de conexão com a rede:

 

I – 30 kWh, se padrão monofásico

II – 50 kWh, se padrão bifásico

III – 100 kWh, se padrão trifásico.

 

Caso o consumidor apresente um consumo mensal inferior à quantidade mínima aplicável, ele pagará pelo custo disponibilidade, cujo valor corresponderá à quantidade de energia multiplicada pela tarifa.

Como saber o custo de disponibilidade na minha conta de energia?

Para saber qual é o seu tipo de padrão de conexão, verifique a sua conta de energia. Veja abaixo um exemplo de uma conta da CEMIG:

exemplo_conta_residencial_bifasico
Como a conta acima tem padrão bifásico, o custo de disponibilidade a ser considerado corresponde a 50kWh/mês. Levando em conta que a classe é residencial e a tarifa é de R$0,84/kWh, podemos considerar que, mesmo que o consumidor acima não utilize energia elétrica no mês, deverá pagar R$42,00 à concessionária.  

 

Relação entre Custo de Disponibilidade e Sistemas de Energia Solar Fotovoltaica

A legislação que rege os sistemas de Geração Distribuída, nos quais se enquadra a geração de energia solar fotovoltaica, impossibilita eliminar o custo de disponibilidade conta de energia.

O item I do Artigo 7 diz claramente que:

 

I – deve ser cobrado, no mínimo, o valor referente ao custo de disponibilidade para o consumidor do grupo B, ou da demanda contratada para o consumidor do grupo A, conforme o caso; (Redação dada pela REN ANEEL 687, de 24.11.2015.)

 

Desta forma, mesmo que um sistema fotovoltaico gere muito mais energia do que for consumido, o consumidor ainda terá que pagar a taxa mínima de acordo com seu padrão específico,  o que impede que a conta venha “zerada”.

Assim, é muito importante que esse fato seja considerado na fase de projeto de seu sistema fotovoltaico. A simulação deve ser a mais precisa possível, garantindo que você não irá instalar um sistema maior do que o necessário para suprir todo o percentual de sua conta de energia que pode realmente ser abatido pela geração distribuída.

 

Exemplo rápido

Considere a mesma conta acima, de uma unidade residencial, bifásica, com tarifa de R$0,85/kWh, que consumiu em média 300kWh/mês nos últimos 12 meses. Para dimensionar um sistema eficiente, que irá suprir as necessidades do cliente sem “desperdiçar” energia gerada, é necessário considerar o Custo de Disponibilidade.

Assim, ao invés de 300kWh/mês, o sistema deverá ser projetado para gerar 250kWh/mês, ou seja, o consumo médio real menos o valor referente ao Custo de Disponibilidade, que não pode ser eliminado.

Com o cálculo acima podemos afirmar que só será possível abater até 84% da conta de energia da unidade consumidora. Qualquer sistema maior iria enviar a energia excedente para a rede elétrica da concessionária sem ser aproveitada pelo consumidor. Já sua conta de energia apresentaria o mesmo valor mínimo caso o sistema tivesse sido projetado corretamente, considerando o Custo de Disponibilidade.

A relação entre tamanho do projeto e economia é proporcional até este limite, o mais importante para atingir eficiência é sempre o dimensionamento correto do sistema fotovoltaico!

 

E você, tem mais dúvidas sobre sistemas de energia solar? Deixe sua pergunta nos comentários ou entre em contato com a gente!

mm
Lucas Mendes

Formado em administração de empresas, por dois anos se dedicou a um MBA pela IESE Business School da universidade de Navara (Espanha). Atuou na Schneider Electric, empresa global especialista em gestão de energia e em bancos de investimento e fundos de capital de risco com foco nos setores de energia e infra-estrutura.