Em março deste ano, a ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica) propôs um reajuste na tarifa de energia para as regiões atendidas pela CEMIG de 25,87%. No Post anterior entendemos o motivo e o processo da revisão tarifária. Agora vamos explicar como podemos colocar o sol para trabalhar a nosso favor e nos proteger deste e de futuros reajustes.

De acordo com estimativas da ANEEL, até 2024, 1,2 milhões de casas e empresas estarão gerando sua própria energia por fontes renováveis, principalmente a Energia Fotovoltaica.

Além da proteção contra o aumento das tarifas energéticas, a energia fotovoltaica é um tendência por dar maior autonomia aos consumidores de energia e também em função da crescente preocupação com a sustentabilidade da nossa matriz energética.

Se você já se questionou em como não sofrer tanto com a aumento da tarifa, ou como ser mais sustentável gerando sua própria energia, leia esse post. Nele estão os principais motivos que levam tanta gente a investir nesta solução.

Financeiramente é vantajoso?

Em função da forte alta nos preços da energia, de fato, é mais barato gerar a própria energia do que comprá-la da distribuidora.

A grande atratividade dos sistemas de geração própria se dá, dentre outros motivos, pela recente instituição no Brasil de um sistema de compensação de energia. Esse sistema é conhecido como net metering.

Neste modelo, consumidores podem também gerar energia através de fontes renováveis. Além de gerar, podem transferir excedente à rede das concessionárias de distribuição.

Quando a geração é maior que o consumo, a energia excedente é injetada na rede. Quando a geração é menor que o consumo, a rede supre a demanda por energia. No fim do mês, o valor devido corresponde à diferença entre o consumo e a geração de energia.

Com esse processo, o investimento pode ser pago em cerca de 4 anos. O retorno sobre o investimento é bem mais atrativo do que alternativas convencionais, como poupança ou fundos de renda fixa.

Posso me proteger da inflação da conta de luz?

Além dos claros ganhos financeiros com a redução da conta de luz, a geração própria implica em uma independência das oscilações do preço da energia.

No Brasil, por exemplo, temos grandes variações de preço. Essas variações são geradas por fatores climáticos e pela ingerência política no setor elétrico. Ou seja, nossa dependência das hidrelétricas torna a tarifa de energia oscilante de acordo com nível de reservatórios e a utilização das termelétricas.

Ao gerar sua própria energia, é possível se blindar destas oscilações de preço, já que o sol é abundante durante todo o ano e créditos gerados são acumulados por 60 meses. Ao gerar a própria energia você deixa de comprá-la da distribuidora. Ou seja… Quanto mais a energia subir, mais estará economizando.

E além do ganho financeiro?

Ao optar por gerar a própria energia através de fontes limpas e renováveis, você também estará contribuindo para a redução dos gases de efeito estufa e evitando o desenvolvimento de novas termelétricas, com alto impacto ambiental.

Além disso, ao aproximar os pontos de geração e consumo, a geração distribuída alivia a carga sobre os sistemas de transmissão e distribuição de energia, evitando novos investimentos nestes sistemas, que também devem tornar a energia cada vez mais cara.

Se agora você acredita nessa possibilidade e quer de participar dessa revolução energética, entre em contato com a Astra Solar.

Elisa Meira Bastos